Article

As principais tendências das cadeias de fornecimento para 2021

É inegável que o ano de 2020 vai entrar na história como um dos episódios mais desafiantes para a humanidade. Um período no qual o mundo inteiro se curvou diante do vírus que não deu trégua, e o ano que começa não estará isento de consequências, aliás, 2021 já começa repleto de grandes desafios. Para os profissionais da cadeia de fornecimento, a COVID-19 tornou-se uma época de muita pressão e desafios constantes, mas, por outro lado, realçou como nunca a importância de sua função para a organização e para o mundo em geral.

Os principais desafios foram assegurar a continuidade das operações em um ambiente hostil e incerto, forçando os departamentos de compra a adotarem uma transformação digital em grande escala, onde os que enfrentaram a crise conseguiram seguir adiante, enquanto os que não souberam responder a tempo sofreram consequências drásticas.

Qual a previsão deste ano para a cadeia de fornecimento e seus profissionais? O que deve ser considerado para se preparar para as incertezas de 2021? Aqui estão algumas tendências que não podem ser ignoradas.

Visão de futuro em termos de riscos

O ano de 2020 deixou claro que devemos estar preparados para tudo, mais ainda em um mundo em constante mudança, como nunca, a COVID-19 nos ensinou que ter políticas de gestão de risco claras estabelecidas e eficientes é fundamental para se adaptar aos desafios atuais.

O ano passado colocou em risco algumas organizações importantes, como a Toyota por exemplo, que teve de interromper suas operações nas zonas mais afetadas pelo vírus e restringir as viagens de seus funcionários, isso também aconteceu com centenas de organizações que não estavam preparadas.

Ter um modelo de risco alinhado com os padrões jurídicos e que responda às necessidades do setor é uma alternativa aconselhável nestes tempos que ajudará a minimizar as ameaças e os impactos relacionados.

Nesse tipo de contexto, a visibilidade é crucial, não é possível gerenciar o que não se conhece, por mais complexa que seja a cadeia de fornecimento, ter um mapa claro que indique os potenciais problemas ou debilidades, que ajude a preparar planos de contingência adequados a eventualidades pode fazer a diferença entre sucesso ou fracasso.

“Os departamentos de compra que forem capazes de responder aos altos e baixos que suas cadeias de fornecimento enfrentaram nos últimos tempos e continuar com suas operações, superarão não só a crise da COVID-19, mas todas as que vierem no futuro”, destaca Kaplan, Diretor e analista de comodities, Commodity Analysis and Insight Ltd, em Global Crisis and the importance of Procurement Agility.

Sua equipe está preparada?

Com cadeias de abastecimento mais complexas e ampliadas (um estudo identificou que em torno de 80% dos produtores têm departamentos em vários países) é fundamental contar com profissionais que estejam à altura das necessidades.

Enquanto para as equipes de compras sêniores o desafio é adquirir as habilidades para responder a uma nova era digital, incluindo a implementação do gerenciamento de dados em grande escala para previsão e análise do mercado (análise de big data), internet das coisas (IoT) e automatização da cadeia de fornecimento, os profissionais que incorporam ou já têm conhecimento nessa área estarão em alta.

A digitalização das cadeias de fornecimento traz como consequência um alto volume de dados que devem ser analisados para que sejam usados corretamente, isso permite aumentar a eficácia de processos e operações, além de facilitar a tomada de decisões. Quem tiver perfis mais tecnológicos, adequados a essa demanda, certamente serão agentes de mudança rumo a uma transformação sólida e benéfica para a organização.

Vale destacar que é importante ter ferramentas que ajudem a facilitar essa tarefa, como relatórios de percepções de fornecedores e mapeamento da cadeia de fornecedores, e que permitam acessar informações relevantes e claras com um só clique.

Frederic Girardeau – Montaut, diretor e líder global SAP Ariba, Deloitte Consulting LLP, disse no webinar O que vem a seguir: uma perspectiva sobre o futuro do fornecimento. “Os projetos nos quais estamos trabalhando na nossa cadeia de fornecimento quanto à inovação têm a ver com incorporar mais inteligência nos processos de gestão. Trabalharemos para processar e analisar uma grande quantidade de informação em um período curto, com o intuito de melhorar a tomada de decisões”.

Cadeias de fornecimento mais ecológicas

A sociedade continuará exigindo cadeias de fornecimento mais ecológicas.  Enquanto muitas empresas incorporaram processos alinhados com essa demanda, continua-se considerando a área de fornecimento em setores como a eletricidade e o transporte uma fonte significativa de emissão de carbono e contaminação, diante disso, muitas organizações começaram a migrar para fontes de energias renováveis e a implementar sistemas de rastreabilidade da pegada de carbono, por exemplo.

Cadeias de fornecimento livres de carbono são uma tendência que ganha cada vez mais força. Marcas poderosas como a Apple (comprometida em se tornar uma empresa livre de emissões de carbono até 2030) terão grandes desafios para conseguir isso. Um bom ponto de partida serão as reestruturações no âmbito operacional e tecnológico que envolvam a cadeia de fornecimento em todos os níveis para garantir que as ações tenham resultados e sejam mensuráveis.

Auditorias nessa área e o trabalho em equipe de todos os envolvidos na cadeia de fornecimento também são fundamentais.

As organizações que adotarem processos sustentáveis terão reconhecimento público e melhores retornos econômicos no longo prazo. Um estudo internacional realizado pela Unilever com mais de 20.000 adultos de 5 países diferentes concluiu que 1/3 dos entrevistados preferem marcas sustentáveis e que 21% deles prefeririam comprar produtos que indicassem esse quesito claramente nas embalagens, e essa é uma tendência que vem crescendo.

Segurança cibernética: o grande desafio

Como explica Carlos Sáiz, sócio do Grupo ECIX: «existe uma importante pressão regulatória para identificar e prevenir ameaças de segurança cibernética tanto antes da contratação de fornecedores quanto durante a relação contratual. A COVID-19 trouxe à tona o nível de dependência que as empresas têm de serviços e infraestruturas de terceiros, dentro os quais nos encontramos (plataformas de nuvem, centrais de atendimento, ferramentas de videoconferência). O risco de segurança cibernética em grandes empresas será exponencial pelo fato de trabalharem com um número maior de fornecedores”.

Os gerentes de fornecimento estão cada vez mais preocupados com a segurança cibernética, principalmente diante do aumento do risco percebido nos últimos meses. A tendência de investir em segurança cibernética apresenta um aumento e mostra que existe uma preocupação cada vez maior devido à grande dependência de seus fornecedores.

Um caso que agitou o setor e que é, sem dúvida, um exemplo claro do impacto negativo dos ataques cibernéticos, é o da British Airways, a companhia aérea foi multada em 26 milhões de dólares pelo Departamento da Comissão de Informação do Reino Unido (Information Commissioner´s Office) pelo roubo de dados pessoais e financeiros de seus clientes. A falta de medidas de segurança e protocolos de gerenciamento da informação sem as medidas adequadas foram os fatores que a levaram a essa penalização, considerada uma das mais altas do setor.

A tendência continuará aumentando e, enquanto a era digital continuar se desenvolvendo, as vulnerabilidades das organizações ficarão ainda mais expostas, especialmente em departamentos tão dependentes como o fornecimento. Então, o que fazer? Neste ano que começa, será fundamental dispor de ferramentas que ajudem a diminuir riscos. Plataformas para controlar os riscos por meio de dados e em tempo real, como Cyber Security Management, podem ser, sem dúvida, um grande aliado em 2021.

Para os profissionais da cadeia de fornecimento, este ano será um período de grandes desafios e mudanças, uma adaptação contínua à revolução digital e a todos os benefícios e oportunidades que ela acarreta, mas também ao controle dos riscos. O meio ambiente continuará guiando o caminho e a incerteza na qual vivemos atualmente forçará as equipes a elaborar planos de riscos e a ter maior visibilidade de sua cadeia de fornecimento.

Se precisar de ajuda para gerenciar sua cadeia de fornecimento com sucesso neste ano, entre em contato conosco. Podemos ser um apoio integral para fazer de 2021 um ano de sucesso para sua organização.


As principais tendências das cadeias de fornecimento

Receba ótimas informações na sua caixa de entrada todos os meses

Assinar