Como será o futuro no setor de óleo e gás do Reino Unido?

4 Jul 2018
Artigo por Achilles

Por Malcolm Wilson, Chefe de setor – recursos naturais

O ano passado marcou 20 anos desde a criação da Achilles FPAL, nossa comunidade de cadeia de fornecimento para organizações que apoiam o setor de óleo e gás europeu. Há duas décadas, nunca teríamos imaginado como as melhorias tecnológicas nos afetariam, e nem estávamos preparados par alguns dos momentos mais desafiadores pelos quais passou nosso setor – e ainda assim, continuamos firmes.

Para refletir sobre esse marco, gostaria de compartilhar minha visão sobre como o setor mudou nesse período e para onde espero que o setor de óleo e gás siga no futuro.

Setor de óleo e gás do Reino Unido há 20 anos

O setor de óleo e gás mudou muito nos últimos 20 anos, desde a fundação da Achilles FPAL em 1997. O setor naquela época era dominado por grandes empresas, como a BP e a Shell, que supervisionavam as operações nos grandes campos, na Plataforma Continental do Reino Unido (UKCS).

Desde então, à medida que elas venderam ativos, vimos alguma fragmentação. Novos participantes chegaram ao mercado, como operadoras recém-iniciadas, e isso mudou o formato do setor.

É encorajador saber que, após todos esses anos, muitos dos membros fundadores originais da Achilles FPAL, como a BP, a Shell e a Total ainda sejam uma parte essencial da comunidade. Nos últimos anos, juntaram-se a elas diversas outras empresas, como a Chrysaor, a Cuadrilla e a PD&MS, totalizando cerca de 80 organizações compradoras que agora fazem parte da nossa comunidade.

Desafios recentes

Mais recentemente, tivemos um período realmente difícil para as organizações de óleo e gás devido à enorme queda nos preços do petróleo. No início de 2016, o preço do barril caiu de cerca de US$ 110,00 para menos de US$ 30,00, gerando um cenário extremamente desafiador para fornecedores, operadoras e contratados, e os preços continuavam a variar.

Essa situação foi parcialmente recuperada agora, com os preços atuais do barril em torno de US$ 70,00 e US$ 80,00. Mas desde então, temos observado uma redução acentuada no número de fornecedores cadastrados na Achilles FPAL. Há vários fatores em jogo por trás dessa queda, incluindo a falência de empresas e o anúncio de menos oportunidades de contrato, além da fusão de fornecedores ou a aquisição de concorrentes pelos fornecedores, visando uma melhora no setor para eles. O foco das operadoras na redução de custos agora é uma característica permanente para que a UKCS seja sustentável nos próximos 30 anos.

A saúde e a segurança também desempenham um papel importante ao refletirmos sobre o aniversário de 30 anos do trágico desastre de Piper Alpha, onde 167 trabalhadores da plataforma petrolífera perderam suas vidas na explosão de gás. As operadoras não devem se acomodar e há desafios especiais gerados pela infraestrutura antiquada, com possível relutância em se fazer investimentos de longo prazo necessários para trabalhos críticos para a segurança. A competência das contratadas é uma preocupação fundamental, pois, estatisticamente, é onde mais acidentes ocorrem. Isso gera um argumento convincente para auditorias e revisões efetivas dos fornecedores.

Qual é a situação atual?

Apesar dos desafios dos últimos anos, acredito que a Achilles FPAL e o setor em geral têm um grande potencial para transformar a UKCS em um local que pode empregar não apenas minha filha, mas também minha neta nos próximos 20 anos. Ela tem um grande futuro.

Estou começando a ver as condições se estabilizando, com o preço do petróleo agora permitindo que as operadoras tornem-se rentáveis e alimentando oportunidades de contrato em toda a cadeia de fornecimento.

A Shell e a BP reafirmaram seu compromisso com o Mar do Norte, a BP pretende dobrar a produção no Mar do Norte e a Shell fez um grande investimento no campo de Penguins. Os participantes mais recentes no Mar do Norte são grandes empresas, como a Equinor, com a Mariner Field e a Chrysaor dando um novo fôlego no valor de £ 3,8 bilhões para antigos ativos da Shell.

Olhando para o futuro

Embora seja ótimo ver que as coisas estão melhorando no setor, eu acho que os desafios recentes o mudaram significativamente. É claro que tivemos outras flutuações de preço nos últimos 20 anos, mas os efeitos da recessão mais recente serão muito mais duradouros. Isso levou à implantação de uma atitude de baixo custo em todo o setor e acho que não voltaremos mais aos dias de expansão que vimos no passado – esse é um momento decisivo para o setor.

No passado, havia uma tendência de obter óleo e gás do solo rapidamente para garantir que os projetos gerassem dinheiro o mais rápido possível, independentemente do custo das taxas de perfuração e de mão de obra. O preço forte do barril significou essa possibilidade por muito tempo. No futuro, no entanto, acredito que será necessário prestar mais atenção aos custos. Os padrões de segurança, qualidade e treinamento precisarão permanecer altos, apesar dos preços do petróleo muito mais baixos, portanto, uma abordagem mais comedida precisará ser adotada. Especialmente quando nossa força de trabalho envelhecer e tivermos 80.000 trabalhadores aposentados ou deixando o setor até 2035, e houver a criação de 40.000 cargos novos, como sugere um estudo recente.

Além disso, a transparência está definida como um foco contínuo, juntamente com o gerenciamento das cadeias de fornecimento de forma ética. Os compradores não querem ter que voltar aos tempos de “lista negra” com uma lista dos seus fornecedores favoritos. Na verdade, eles querem atuar em um mercado aberto e trabalhar com fornecedores inovadores, com visão de futuro, que podem ser encontrados através da Achilles FPAL.

A tecnologia agora é mais importante do que há 20 anos. Continuamos a ajudar novos fornecedores a entrarem no mercado e continuaremos nos adaptando para atender às demandas dos nossos clientes. As mudanças que fizemos na Achilles FPAL nos últimos anos incluem adição de informações sobre a Modern Slavery Act 2015 (Lei sobre Escravidão Moderna) e políticas antissuborno e anticorrupção, que agora são mais uma preocupação importante devido aos requisitos de conformidade.

Também mudamos o escopo das nossas auditorias para incluir fatores como competência, tornando-as mais relevantes para os requisitos dos nossos clientes. A segurança continua sendo um foco importante e a Achilles conduziu com sucesso auditorias alinhadas às novas diretrizes da IOGP-423 para contratadas trabalhando juntas em um ambiente de contrato. Esse serviço será lançado para os compradores nos próximos meses.

Achilles FPAL

A Achilles FPAL continua a ser administrada por um comitê de direção eleito, que representa compradores, fornecedores e principais órgãos de comércio. Eles administram as mudanças na comunidade, aprovando-as e mantendo a plataforma relevante. O comitê de direção desempenha um papel importante no fornecimento de orientações claras durante a próxima década, enquanto a comunidade se esforça para atender às exigências variáveis dos nossos compradores e fornecedores.

De forma geral, acho que estamos prontos para ver uma recuperação estável no setor, com a Achilles FPAL desempenhando um papel fundamental nisso. Certamente estamos preparados para os próximos 20 anos, não tenho dúvida quanto a isso.

Visite a página da comunidade Achilles FPAL para saber mais.


Compartilhar


Receba ótimas informações na sua caixa de entrada todos os meses

Assinar