Como fatores externos podem afetar a atividade de compras

8 Feb 2018
Artigo por Achilles

A empresa é uma entidade vulnerável que está à mercê de forças externas, sejam elas, financeiras, políticas, tecnológicas, socioculturais ou ambientais.

Todos esses fatores têm consequências para a atividade de compras, desde a negociação de preços até o comércio e gestão de fornecedores.

Emma Scott, gerente de representação do Chartered Institute of Purchasing and Supply, disse à Cast UK: “Você depende dos seus analistas de previsões de tendência, mas também precisa manter muito boas relações com seus fornecedores, para que suas cadeias de fornecimento sejam ágeis o suficiente, de modo que se tivermos más condições meteorológicas, que sejam realmente inesperadas, você possa aumentar seu fornecimento rapidamente e vice-versa.”

Parte da batalha é, primeiramente, compreender como fatores externos podem afetar a atividade compras.

O ambiente financeiro

O ambiente financeiro – que inclui desempenho econômico – tem um efeito crucial sobre a forma como os compradores realizam suas operações de compras.

Um dos principais desafios que o ambiente financeiro representa para as empresas é a flutuação da moeda. Compre no momento certo e o retorno sobre o investimento pode ser enorme; invista na hora errada e você pode acabar perdendo dinheiro.

A política financeira do Banco da Inglaterra também tem consequências para os departamentos de compras, pois esta rege a inflação e o comportamento dos investidores, o que afeta o fluxo de caixa.

Enquanto isso, a atividade de empréstimo dos bancos pode restringir a atividade de compras e colocar maior ênfase no corte de custos, se ficar difícil obter financiamento. Da mesma forma, uma diminuição do crédito normalmente pode deixar os fornecedores de menor porte vulneráveis e com isso aumentar o risco dos compradores.

Mudança política

Uma mudança no governo, na política ou nas políticas internacionais pode influenciar enormemente com quem e como os compradores fazem negócios.

A nível nacional, mudanças no governo e na política podem abranger reforma regulamentar e mudanças em pacotes de apoio e representação para empresas. Isso afeta a forma como as empresas estruturam as cadeias de fornecimento, como elas cumprem regulamentos de emprego, impostos, saúde e segurança, ética e controle de qualidade e como elas crescem.

Internacionalmente, a cessação de relações com as nações dos fornecedores pode afetar significativamente a dinâmica comercial, ao passo que a abertura de um país para o mercado livre pode criar novas oportunidades e desafios. Da mesma forma, mudanças no governo ou na política em países, regiões e territórios estrangeiros geram para as empresas desafios de conformidade, financeiros e de gestão de fornecedores, sem contar a interrupção das cadeias de fornecimento em casos de colapso, separação ou protestos políticos.

Os departamentos de compras precisam acompanhar os eventos políticos no mundo todo e agir rapidamente para minimizar o risco e aproveitar ao máximo as oportunidades.

Avanços tecnológicos

O panorama tecnológico muda constantemente e os clientes passaram a esperar que as empresas operem mais rápido, estejam mais conectadas e, por isso, ofereçam a eles as últimas novidades.

As organizações precisam acompanhar as mudanças no ambiente tecnológico e como isso afeta os negócios. Desde os produtos e serviços oferecidos até à forma como os compradores colaboram com os fornecedores, a tecnologia tem um impacto enorme sobre o setor de compras.

Mudança sociocultural

A KPMG afirma que empresas que ignoram fatores socioculturais externos devem fazê-lo por sua conta e risco. Os departamentos de compras precisam entender como os fatores socioculturais afetam os comportamentos e expectativas dos clientes.

Flutuações ambientais

O meio ambiente é um dos maiores desafios das cadeias de fornecimento. Seja por uma escassez de recursos ou desastres naturais, os departamentos de compras estão à mercê do meio ambiente.

Em 2013, o Carbon Disclosure Project descobriu que 70% das empresas acreditavam que a mudança climática tem o potencial de afetar significativamente suas receitas.

As organizações estão cientes das ameaças e os desastres naturais recentes têm servido como prova de como incidentes insólitos podem devastar a cadeia de fornecimento.

Os departamentos de compra precisam planejar com antecedência para gerenciar a escassez de recursos e diversificar seus fornecedores para minimizar a interrupção em caso de um desastre natural. Evitar as zonas de alto risco também é aconselhável.

O Índice de Resiliência Global FM de 2014 recentemente identificou a República Dominicana, Bolívia e Venezuela como os três países de maior risco para as cadeias de fornecimento devido à sua exposição a perigos naturais, riscos políticos e instabilidade econômica.

Como controlar fatores externos

Os compradores não devem deixar de levar em consideração o ambiente externo ao criar estratégias de compras para superar os riscos.

A gestão de fornecedores desempenha um papel crucial neste fator, permitindo que as empresas criem uma cadeia de fornecimento de fornecedores pré-qualificados e monitorem sua exposição às ameaças.

Isso permite que os departamentos de compra atuem e ajustem-se ao ambiente externo.



Receba ótimas informações na sua caixa de entrada todos os meses

Assinar