Preparando as cadeias de fornecimento do setor da construção para o crescimento futuro

Article by Achilles

O setor da construção está passando por um aumento da atividade em todo o mundo. Impulsionadas por um crescimento econômico positivo, baixas taxas de juros e grande procura, as receitas do setor deverão manter uma trajetória ascendente nos próximos anos.

Um maior nível de produção não significa apenas muitas oportunidades de crescimento e expansão em todo o setor da construção, mas também uma maior pressão sobre as cadeias de fornecimento.

As cadeias de fornecimento do setor de construção enfrentam vários desafios e riscos diferentes quando comparadas com as de outros setores e, sem um gerenciamento ativo, os projetos podem começar a drenar recursos, tempo e dinheiro.

Cada projeto de construção é único e, muitas vezes, envolve equipes de consultores, contratados e fornecedores que só trabalham juntos uma vez. Como resultado, as cadeias de fornecimento podem incluir uma grande variedade de sistemas de aquisição, organizações e disciplinas. Em projetos maiores e mais complexos, a responsabilidade pode se perder ainda mais na cadeia de fornecimento à medida que você alcança um grande grupo de fornecedores menores. Conhecer todos na sua cadeia de fornecimento e o que eles estão fazendo diariamente pode ser difícil para a administração.

Crescimento global – um cenário misto

O cenário de crescimento não é uniforme em todo o mundo e, por trás da visão macro do aumento do crescimento e da produção, há uma variedade de desafios e dinâmicas regionais.

O crescimento chinês finalmente desacelera

Em primeiro lugar, o setor de construção da China parece destinado a desacelerar consideravelmente nos próximos anos. PwC cita o primeiro declínio na produção de moradias na história recente do país e sua contínua mudança para uma economia baseada em consumo e serviços. Isso significa que os setores de construção dos EUA e da Índia poderão crescer mais rapidamente do que seus homólogos chineses nos próximos 15 anos, mas os três países ainda serão responsáveis por 57% do crescimento global.

Pressão sobre as margens na Europa

Apesar de um recente retorno de crescimento em toda a Europa, a pressão na cadeia de fornecimento continua a ser um grande problema para as empresas da Irlanda, do Reino Unido e dos Países Baixos, pois a escassez de contratados e de materiais coloca a pressão nas margens.

Muitos compradores procuram soluções digitais que os ajudem a combater a escassez de mão de obra e a melhorar substancialmente sua produtividade.

Investimento em infraestrutura impulsiona o crescimento na América Latina

O setor de construção na América Latina está passando por um período de mudanças distintas que está gerando desafios para as operadoras em toda a região. Apesar do crescimento econômico generalizado em toda a região em 2018, ela continua a enfrentar turbulência devido a fatores socioeconômicos e políticos. Novos governos no Brasil, México, Colômbia, Paraguai e Costa Rica, bem como as próximas eleições na Argentina, provavelmente levarão a grandes aumentos nos gastos públicos em construção.

O Business Monitor International espera um crescimento real de 1,9% em toda a região, impulsionado pelo aumento dos preços das commodities, pelo desenvolvimento da infraestrutura de capital privado, como parcerias público-privadas (PPPs) e por uma melhoria geral da economia. Em particular, o surto de crescimento de 3,5% previsto para a Argentina será impulsionado por novos projetos de PPP, que o governo espera que gerem USD 26,5 bilhões em investimentos até 2022.

Existe uma pressão pública crescente sobre as empresas de construção para que sejam transparentes quanto à forma como qualificam os seus dados e obtêm contratos. A corrupção, o conluio e a formação de cartel são problemas que têm impedido o progresso na região. Isso tem sido combinado com preocupações crescentes sobre a saúde e a segurança dos trabalhadores e o impacto ambiental das cadeias de fornecimento.

As operadoras latino-americanas de construção civil terão que se adaptar para enfrentar esses desafios, mas suas cadeias de fornecimento não estão operando de forma tão eficaz quanto as de outras regiões“, diz Nicolas Avellaneda, diretor de vendas, América Latina na Achilles. “A região está um passo atrás quando se trata de transparência.”

Como se preparar para o aumento da demanda

O setor de construção tem potencial para registar um crescimento real nos próximos anos, mas a forma como as cadeias de fornecimento funcionam e são administradas também precisa mudar. Nossas comunidades, como a Regic, ajudam a estabelecer as bases para um crescimento escalável, aumentando a transparência e dando aos compradores e fornecedores acesso a dados limpos e validados.

Além disso, ajudamos você a reduzir o risco em sua cadeia de fornecimento, disponibilizando à sua empresa informações validadas e oportunas de seus fornecedores, para ajudá-lo a tomar melhores decisões com base em informações confiáveis.

Para as operadoras da América Latina, essa pode ser a diferença entre crescimento e estagnação em um futuro próximo. Mas também é importante para os operadores chineses que procuram oportunidades numa economia em mudança, ou para as empresas europeias que procuram assegurar o melhor talento a partir de um grupo limitado. Ao colocar os dados no centro da relação entre compradores e fornecedores, ajudamos a tornar o planejamento, a previsão, o orçamento e a execução mais eficazes.

Para o setor de construção, a pré-qualificação está se tornando uma norma importante. Esse é um dos principais pontos fortes das nossas comunidades. Por meio de nossas auditorias e esquemas de qualificação, compradores e fornecedores são capazes de operar com total clareza. Isso não só ajuda a aumentar a transparência, como também ajuda a aumentar as vantagens competitivas e a criar modelos escaláveis.

Uma boa cadeia de fornecimento pode se adaptar a qualquer desafio. Nossas comunidades ajudam a criá-las da maneira mais rápida, simples e eficaz possível.



Receba ótimas informações na sua caixa de entrada todos os meses

Assinar